Hematoma BraçoO que é Hemofilia?

Deficiência genética recessiva que dificulta o mecanismo de coagulação sanguínea. Existem dois tipos de hemofilia: A e B. Cada uma possui uma deficiência em um fator de coagulação diferente.

Ela atinge com mais frequência, os homens, porque o gene que a causa é localizado no cromossomo X. Portanto, algumas mulheres possuem o gene causador; porém, não desenvolvem a doença, mas podem transmiti-la. O diagnóstico da doença é feito por meio de exame de sangue realizado em laboratório de análises clínicas, no qual se mede a quantidade de fatores de coagulação sanguínea.

Como o sangue não coagula normalmente, os hemofílicos podem sofrer facilmente com hemorragias, o que provoca hematomas, fraquezas e desgaste de ossos e cartilagens.

Sintomas da Hemofilia

⇒ Sangramentos espontâneos;

⇒ Aumento de temperatura corporal;

⇒ Dores corporais ao se movimentar;

⇒ Aparecimento de hematomas depois de pancadas, inclusive as mais leves.

Tratamento para Hemofilia

A reposição de fatores coagulantes deficientes é o tipo de tratamento mais eficaz de tratamento para a hemofilia. Trata-se de uma injeção que contém as células que ajudarão na coagulação, células essas que o organismo do hemofílico não é capaz de produzir.

Curiosidades sobre a Hemofilia

Por ser uma doença de herança genética, a hemofilia tem maior chance de se manifestar em casamentos consanguíneos. Na história da monarquia europeia, existem alguns casos cuja explicação se dá pelo fato de ter ocorrido matrimônios entre parentes. Alexei Romanov, filho do último czar da Rússia, Nicolau II, é um exemplo de hemofílico da família real europeia, assim como o filho da rainha Vitória da Inglaterra, Leopoldo.